Venda de cervejas caseiras

O Brasil vive hoje um momento novo na cultura cervejeira. Nosso povo está descobrindo novos sabores, novos aromas e todo aquele blá blá blá que frequentemente ouvimos nas rodas dos entendidos em cerveja. O brasileiro descobriu também que fazer cerveja em casa não é tão difícil e é muito prazeroso. Realmente, reunir a galera no sabadão e fazer uma brassagem é muito legal. Melhor ainda é chamar essa galera no mês seguinte para provar a experiência.

Quando digo que fazer cerveja em casa é uma experiência, é porque realmente é. O cervejeiro caseiro pode até imaginar o resultado final de sua breja, mas só terá certeza do resultado depois de abrir a primeira garrafa. E mais, dificilmente conseguirá repetir a receita.

Digo isso por mim mesmo, já fiz algumas excelentes brejas, aprovadas por unanimidade, mas confesso que mesmo tentando seguir rigorosamente a mesma receita, ela não ficou igual, e o pior, muitas vezes ficou uma merda que só eu consegui beber afinal, nunca vou desvalorizar a minha breja.

Certamente virá alguém dizer que não é bem assim, que existem cervejeiros caseiros de alto nível técnico, que se esmeram ao máximo para atingir os resultados pretendidos e que até mesmo eu aprovaria as brejas deles, mesmo sabendo que eu aprovo qualquer breja. Eu concordo com esta afirmação. Eu mesmo, conheço alguns bons cervejeiros caseiros, que investem horas e horas em estudos, aprimoram técnicas, testam várias fórmulas, vários métodos, que investem em equipamentos de precisão, laboratórios, panelas semi ou totalmente automatizadas. Conheço cervejeiros que malteam os próprios grãos, que fabricam as mais diversas gambiarras no intuito de aperfeiçoar e melhorar o hobby.

Fazer cerveja em casa é um hobby, um passatempo (tem hífen isto ainda?), que mesmo envolvendo álcool, é muito sadio e divertido. Como eu sempre costumo comparar, tem gente que gosta de carro antigo, investe muito dinheiro nessa paixão. Nós gostamos de fazer cerveja, e investimos na nossa. Sonhamos com panelas de aço inox, investimos em rótulos, tentamos melhorar ao máximo a nossa breja, tudo isso pelo simples tesão que essa atividade nos proporciona.

Hoje em dia é possível começar a fazer cerveja com menos de R$ 800,00 de investimento. Com essa grana compra-se um equipamento até que interessante. Mas certamente é só o começo dos gastos. Não vou ficar aqui exibindo minha planilha de investimentos cervejeiros, mas nela existem ainda alguns itens em vermelho – itens que eu não tenho, mas que ainda vou comprar. Estes itens em vermelho são agrupados por “Mil Reais”. Cada “Mil Reais” representa um novo upgrade em “bagulhos” para fazer breja. De vez em quando sobra um e eu compro um novo grupo. Bom, foda-se meus investimentos, quero apenas ilustrar que até o momento, eu tenho 5 grupos destes abertos e a cada nova brassagem, surge um novo – o investimento não acaba nunca. Isso tudo para eu fazer cerveja em casa, para meu consumo e eventualmente distribuir aos amigos.

A partir de agora, vou mudar o tom da conversa, e quem sabe até jogar contra o patrimônio, mas enfim, melhor perder um pouco agora, do que ver um mercado acabar por cagada alheia.

Quero deixar bem claro que não sou contra nenhum tipo de empreendedorismo, nem mesmo contra nenhum tipo de sonho. Não vou negar que já sonhei em montar a minha própria cervejaria e vender meus produtos.

Mas enfim, tenho visto muitas pessoas que compraram um equipo básico se aventurando comercialmente, vendendo breja caseira. E estou com muito medo de onde isso irá parar. Sábado eu vi um “cervejeiro” que ainda não fez nenhuma breja e pelo que percebi, nem tem as panelas ainda, se gabando de já ter vendido duas levas. Parabéns, você é um ótimo vendedor! Mas e cervejeiro, você é? Seu produto é bom? Você tá ligado que sua breja não vai agradar a todos? Quem comprou essas levas tá sabendo que sua cerva será turva e amarga como a maioria das primeiras brejas caseiras? Essas perguntas são apenas se você não fez nenhuma cagada, mas lembre-se ainda que pode contaminar, que pode encher de água torneral na hora de resfriar, que seu cachorro pode mijar no fermentador…..Bom, se você vendeu gato por lebre, e seu cliente nunca mais comprar de você, e você desencanar disso, é um favor que você nos faz saindo dessa história. Ou você pensa que vai bater de frente com a Colorado ou com a Bamberg investindo apenas 800 Dilmas????

O Brasil é um país que não ajuda, que não dá oportunidades, legalizar uma cervejaria é complicado, os impostos são altos, mas eu estou me esforçando, comprei equipamentos profissionais, investi em estudos, em marketing, estou tentando….” Bom, ai é outro problema, que eu apoio em partes. Concordo que o Brasil é difícil, eu mesmo abriria o negócio e depois iria atrás da regularização, inclusive já fiz isso (não com cervejaria). Mas meus negócios não tinham investimentos milionários. Isso mesmo, estou dizendo que uma cervejaria é um investimento muito mais alto do que se possa imaginar, e eu para investir essa grana iria, no mínimo, prever tudo o que eu fosse precisar num futuro próximo. Posso até abrir ilegalmente, mas com bases sólidas para regulamentar.

Mas onde eu quero chegar metendo o pau em tudo e em todos? Muito simples, eu tenho medo que algum foderoso tenha uma caganeira com uma “cerveja artesanal” e resolva foder todo mundo. O termo cerveja artesanal é hoje a porta de entrada dos brasileiros no universo da cerveja. O que é muito diferente de cerveja caseira. Você querer jogar na privada a luta de vários outros cervejeiros, queimar nosso filme por causa dos 40 litros de cerva que você produz por mês, é no mínimo egoísta.

Não estou dizendo aqui para você mandar suas panelas para a sucata e nem enfiá-las em qualquer outro orifício, estou apenas dando um toque, se quiser investir nisso, o mercado ainda está carente de marcas, esta totalmente aberto à novidades, vale o investimento. Mas o investimento responsável, um investimento técnico, estrutural, uma cervejaria competente. Um investimento na perpetuação da cultura cervejeira. E não no risco de jogá-la no ralo.

Invista no seu hobby antes, teste, brinque, aperfeiçoe o processo, dê uma cara legal à sua breja, faça um rótulo bacana, compre caixas de transporte, personalize as garrafas, faça camisetas, adesivos, faça de sua “cervejaria CASEIRA” uma marca legal e DISTRIBUA pros amigos. Tenha certeza que com isso seu hobby irá perpetuar-se por anos a fio, e certamente você ganhará muito mais em prestígio e reconhecimento do que se vender qualquer porcaria por ai. É muito legal ter uma “cervejaria” em casa, com aparência profissional. Você, se mostrar capacidade cervejeira, pode até ser convidado por alguma cervejaria e fazer sua breja legalizada. Não precisa vender para ajudar nos custos, se você não tem grana para comprar os insumos, convide os amigos a racharem a conta, garanto que vai sobrar amigo.

Se nada disso te convenceu, lembre-se, vender cerveja caseira é ilegal

5 Respostas to “Venda de cervejas caseiras”

  1. Rafael Says:

    ótimo post.

    Só um detalhe segundo esse nosso amigo vender cerveja caseira não é necessariamente ilegal: http://henrikboden.blogspot.com.br/2012/03/vender-cerveja-caseira.html

  2. Robson Vergilio Says:

    Ainda prefiro o argumento do MAPA sobre o “necessariamente ilegal”

  3. Patricia Luck Says:

    Bom dia Vergilio! Meu marido e um amigo fazem cerveja há cerca de 1 ano aqui no RJ e começamos a vender para os amigos. Ainda é algo muito recente, só agora desenvolvemos a arte para o rótulo, enfim…gostaria de saber se para vender em food truck é necessário ter algum registro. Vi que vc tem a Kombuteco, que achei LINDA, e temos interesse em fazer algo parecido. Vc pode me dizer quais os passos necessários? E onde foi feita a customização da kombi? Obrigada.

    • Robson Vergilio Says:

      Olá Patricia. Sim, food truck, buffets, eventos em geral são atividades comerciais, e para realizar qualquer atividade comercial, é necessário o registro das cervejas. O primeiro passo é procurar a prefeitura de sua cidade, ver onde vocês se enquadrariam e abrir um CNPJ, depois correr atrás das normas (Anvisa, Ministério Agricultura, água e esgoto, zoneamento e etc…) A customização da Kombi foi feita por mim mesmo, que sou Designer de rótulos de cerveja.

      • Patricia Luck Says:

        Muito obrigada pela atenção. Eu já imaginava que seria assim, o problema é que isso requer um investimento. Nossa idéia não é largar o emprego pra vender cerveja, e sim continuar fazendo disso um hobby. Quanto à customização, parabéns, muito bacana, queria saber quem foi que adaptou as torneiras nas laterais da Kombi.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: